FENFIT 2017 – o Festival de Forró das mulheres!
Notícias

FENFIT 2017 – o Festival de Forró das mulheres!

Muito tem se discutido sobre a busca de poder das mulheres na atualidade. Na música, e sobretudo, no forró, a igualdade de gêneros está muito próxima de seu ápice, e o Festival Nacional de Forró de Itaúnas é um bom exemplo.

A organização do Festival – popularmente conhecido como FENFIT – já tem em si a força e cuidado de uma mulher. Juliana Matos, ao lado de seu marido Paulo Matos, realizam há 17 anos o maior festival voltado ao forró tradicional no mundo, no Bar Forró, em Itaúnas. São uma média de nove dias de shows, com atrações nacionais e uma competição que este ano teve 24 bandas concorrentes.

As mulheres tem dominado o forró cada vez mais. Desde o início as mulheres enfrentam o machismo e a hipersexualização das artistas, e se destacam por seus trabalhos artísticos. De 1950, quando Marinês foi a primeira mulher a integrar a banda base de Luiz Gonzaga, e Carmélia Alves ganhou o título de Rainha do Baião, as mulheres cada vez mais dominam os palcos, e as composições. No FENFIT tivemos esse ano a maior demonstração da força feminina no forró, com a presença e a lembrança das grandes mulheres forrozeiras.

– SHOW DE MULHERES NO FESTIVAL DE FORRÓ DE ITAÚNAS

A cearense Amelinha  foi a primeira mulher a se apresentar no palco do Bar Forró no primeiro dia do Festival. Remanescente de uma geração de artistas nordestinos dos anos 1970, Amelinha trouxe seus sucessos, como “Foi Deus quem fez você”, e “Frevo Mulher”.

Janaina Pereyra, paulista filha de baianos, é a principal representante da nova safra das compositoras e cantoras de forró. Janaina, com seu charme, carisma, talento e voz impecável, se apresentou com show solo no primeiro dia do festival, e fez participação nos shows de diversos amigos, conquistados ao longo de seus vinte anos dedicados ao forró.

A carioca Mariana Melo, melhor intérprete do FENFIT 2009, também representou bem as mulheres no terceiro dia do Festival.

No quarto dia, foi a vez de se deliciar com Hermelinda, a voz do Trio Mossoró. A intérprete de “Carcará”, “Hoje não, saudade” e “Ingratidão” levantou o público, com sua voz forte e carregada de emoção.

Anastácia, uma das maiores compositoras da música brasileira, com mais de 800 letras (e quase 200 delas feitas em parceria com o saudoso Dominguinhos) também levou seu show ao FENFIT, emocionando a todos com as músicas que embalam a vida dos forrozeiros, como “Sanfona Sentida” e “Eu só quero um xodó”.

– MULHERES NA COMPETIÇÃO PELA MELHOR BANDA DE FORRÓ DO ANO

Das 24 bandas selecionadas para o Festival este ano, seis tem mulheres em seus vocais. Duas delas inclusive, da Bahia. Laís Marques fez sua parte, levando a música “Tem mulher nesse forró”. O Raízes Forró Clube, comandado por Joane Bittencourt, esteve entre as 12 bandas finalistas. Bárbara Greco, do Espirito Santo, recebeu o prêmio de Revelação do Ano.
Bernadete França, impressionante voz e carisma, ganhou o prêmio de melhor banda, melhor música e melhor intérprete, num momento que coroou o ano das mulheres no Festival Nacional de Forró. Bernadete é a primeira mulher a ganhar o prêmio principal depois de nove anos, num momento propício para reafirmar a força e a voz feminina na música brasileira.
Foto: Hellen Barbosa