Notícias

São João em 157 cidades nordestinas vai ser patrocinado por estatal

 

Monique Lôbo (monique.lobo@redebahia.com.br) – REDAÇÃO CORREIO
Foto: Betto Jr

Só na Bahia são 134 cidades contempladas. Ao todo, serão R$ 11 milhões distribuídos em 157 festas pelo Nordeste

Os forrozeiros Adelmário Coelho, Targino Gondim e Léo Macêdo participaram, na quinta–feira (5), do projeto Prosa em Canto: Um Papo Animado Sobre a Tradição do São João, promovido pela Petrobras no Restaurante Grande Sertão. Na ocasião, o gerente de Comunicação Institucional da Petrobras Nordeste, Darcles Andrade, apresentou a proposta de patrocínio da empresa para os Festejos Juninos 2014.

Ao todo, serão R$ 11 milhões distribuídos em 157 festas pelo Nordeste. Só na Bahia são 134 cidades contempladas. Durante o encontro, os músicos falaram sobre as lembranças que carregam da festa junina e a importância do resgate das tradições nordestinas. “O forró é paixão, sentimento. A nossa cultura é muito importante e temos que defender o que é nosso”, afirmou Adelmário.

Targino lembrou da mãe, dona Maria Gondim, que fazia questão de reunir a família no período junino: “A festa lá em casa começa cedo, com São José e Santo Antônio. Tinha pamonha, canjica e eu dançava quadrilha”. Segundo Darcles Andrade, da Petrobras, o compromisso é o de valorizar a tradição brasileira.

“Começamos com esse plano de investimento em 2005, e desse ano a 2013 foram R$ 44 milhões investidos e 760 cidades patrocinadas. Os números são grandiosos e esperamos que as prefeituras promovam o resgate da cultura nordestina”, frisou. Léo Macêdo, da banda Estakazero, destacou a importância de projetos como o Circo Junino, realizado pela Petrobras, para o resgate das manifestações culturais tradicionais das festas de São João.

“As festas de São João cresceram. Então, é importante valorizar iniciativas como o Circo Junino com essa formação menor, com a zabumba e a sanfona, como a Estakazero começou”, lembrou. O evento ainda contou com a presença de Alberto Freire, doutor em Cultura pela Ufba, que falou sobre a ancestralidade nordestina e lançou o seu livro Culturas dos Sertões (Edufba/R$ 25/256 páginas).